O nascimento de uma Cidade, a Amadora no final do séc. XIX, início séc. XX


WB00882_.GIF (263 bytes) Caminho de Ferro     WB00882_.GIF (263 bytes) Liga Melhoramentos     WB00882_.GIF (263 bytes) Aviação     WB00882_.GIF (263 bytes) Casas "Portuguesas"     WB00882_.GIF (263 bytes) Novos Bairros


CAMINHOS DE FERRO

A Porcalhota era no final do século XIX a mais importante povoação da região e estendia-se ao longo da Estrada Real que a atravessava. Devia a sua importância ao facto de ser um ponto paragem obrigatório, imediatamente anterior à separação das estradas reais de Sintra e Mafra, contando com diversos serviços de apoio aos transeuntes destas vias, nomeadamente casas de pasto como a do famoso "Pedro dos Coelhos". Aí passavam as carruagens, os "omnibus", os "ripperts", os "char-à-bancs" e o antepassado dos comboios, o "Larmanjat". Finalmente, em 1887, foi inaugurada a linha de Sintra com o comboio a vapor. A população ficou entusiasmada, mas também desconfiada com esta inovação, devido às más recordações do "Larmanjat". No dia da inauguração, a dois de Abril de 1887, a nova linha-férrea tinha 11 estações e 3 apeadeiros ao longo dos seus 23 kms. As localidades estavam engalanadas, as filarmónicas tocaram, os foguetes estalaram e 7 comboios fizeram nesse dia Alcantara - Sintra - Alcantara, levando e trazendo cerca de mil pessoas. Há relatos da época que contam que havia tanta gente nas ruas, que a comida chegou a faltar. De referir que só posteriormente, em 1890, é que foi inaugurado o túnel do Rossio, tornando a viagem até ao centro de Lisboa bastante mais rápida. No entanto, a estação dos caminhos-de-ferro foi instalada a alguma distância da Porcalhota, junto da Quinta da Amadora, desencadeando o desenvolvimento de uma nova povoação nesse local, devido à vinda de pessoas estranhas à Porcalhota e seus arredores, sobretudo constituída por pequena burguesia de Lisboa. Este facto deu origem a um significativo crescimento urbano e uma nova dinâmica social para a localidade, centrada agora em torno da nova estação de comboios. Vão ser esses novos habitantes que vão implementar a alteração do nome da povoação de Porcalhota para Amadora, petição esta efectuada a 10 de Julho de 1907 por Eduardo Ferreira do Amaral ao Rei D. Carlos, tendo sido alterada a placa com a denominação da localidade da estação de comboios para "Amadora" a 1 de Fevereiro de 1908.